Crítica de Show: Pedro Alterio e Bruno Piazza (09/04/2013)




Talvez de tudo o que eu já tenha escrito pra esse blog, o texto de hoje tenha o sabor mais especial e a tarefa mais difícil: tentar enxergar a noite de ontem sem deixar me levar pelos sentimentos em relação a tudo o que foi vivenciado e pelo carinho que esses meninos despertam.

Entre o violão sempre bem aprumado de Pedro Alterio, em consonância perfeita com sua voz e as doces melodias, não extraídas, mas "descobertas" no piano por Bruno Piazza, como quem investiga e revela o que já está ali, sobra pouco espaço pra se dizer alguma coisa. Talvez dizer que o que já é ótimo por si só ganha ainda mais beleza junto à bateria de Gabriel Alterio e o baixo de Igor Pimenta, além da presença de um belo quarteto de cordas (Aramis, Cuca, Daniel e Rafael), que levou todos os presentes a se perguntarem: "o que estamos vendo aqui hoje?".

A resposta pra essa pergunta eu não tenho, e nem creio que alguém tenha. Mas sei que a sensação de baque e incredulidade quanto à beleza da noite era compartilhada por todos, era sentida por cada um. 

Pedro e Bruno abriram com o agradecimento em forma de música que há em “A Benção” e desfilaram um repertório baseado no CD da dupla (que você pode conhecer aqui). De fora do álbum, cantaram canções como “Passageira”, “Donana” e “Vem Ver”, que são já conhecidas do público que lotou a Choperia do SESC Pompeia em plena terça-feira e não se fez de rogado: sentou-se e ocupou o chão da pista do local, para apreciar a delicadeza das interpretações. Sinal de música boa e talento reconhecido.

Àquilo que já era notável, juntou-se uma surpresa que apenas deixou tudo ainda mais especial: o cantor e compositor Dani Black, grande amigo da dupla, subiu ao palco para cantar duas músicas: “Certas Coisas”, de sua autoria e gravada por Pedro e Bruno, e “Oração”, música também de Dani e que hoje integra a turnê de Ney Matogrosso. A emoção claramente vista no palco era compartilhada pelo público em alto grau.

O quarteto de cordas, supracitado, faz parte do CD mas se apresentou ontem pela primeira vez com os meninos. A força dos violinos e da viola pôde ser devidamente compreendida em “Música dos Dois”, instrumental deliciosa que ainda teve a presença do violão de Neymar Dias, que escreveu os arranjos das cordas para todo o CD. Ainda no instrumental, a belíssima “Pra Sophia I” nos lembrou (como se alguém pudesse ter esquecido) a erudição autoral de Bruno.

A qualidade da apresentação foi, como sempre, impecável. O bis teve direito ao retorno de Dani Black e animação do público, que se levantou e dançou, empolgada, o sucesso “Gargalhadas”. Ovacionados ao fim de cada canção, os gritos e aplausos redobraram ao fim do belíssimo espetáculo, com demonstrações efusivas de felicidade e realização.

Uma experiência única, indizível, indescritível. Uma enxurrada de emoções e sensações. A delicadeza expressa através da simplicidade e da erudição, unidas, entrelaçadas, irmanadas. Esse foi o show de Pedro Alterio e Bruno Piazza.


por Isa Leite

Comentários