Talento que atravessa o mundo.







Façamos um exercício de imaginação: coloque-se na posição de um músico brasileiro. Não muito conhecido, mas já com seu público. Imagine que você, como tantos, nesse momento, possui um MySpace (lembram disso?). Lá, suas canções, autorais. E então, um belo dia, entre as mensagens recebidas, surge um sul-coreano, que descobriu e se interessou pelo seu som e, entre elogios, quer saber se você não se interessaria em compor junto com ele.

Difícil de imaginar? Mas isso aconteceu com o paulistano Fabio Cadore, uma entre tantas parcerias que compõem a carreira deste grande músico. Cadore venceu a barreira da língua, faz sucesso na Coreia do Sul e na América Latina, além de, cada vez mais, difundir-se aqui, em sua terra natal.

Mas antes de Kim JungBum, muitos outros músicos e amigos influenciaram o trabalho de Fabio. O “divisor de águas”, pra ele, entre o jovem amador que arriscava os primeiros voos musicais e o músico profissional, experiente, que atua não só na própria carreira como também de produtor, arranjador, preparador vocal, professor, etc., aconteceu em 2004, depois de um Workshop de violão e composição com Toninho Horta. A intensidade dessa experiência foi tão viva que, após essa semana, estavam encaminhadas as composições que resultariam em Lúdico Navegante (2008), primeiro álbum de Fabio.

Se lançar o primeiro CD é o desejo de qualquer jovem cantor, ele resolveu que não era suficiente. Ainda em 2008, iniciou-se o processo de novas composições, e aquele exercício de imaginação lá de cima aconteceu. Depois de uma temporada chamada “Tudo Novo”, onde ele experimentou, junto com convidados, as músicas que comporiam seu novo álbum, Fabio lançou Instante (2012) e seguiu fazendo shows dessa nova turnê. Onde? Bom, no Brasil, claro, Mas também na América Latina e na Coreia (por onde ele acaba de passar, mais uma vez, agora em julho!).

Pra 2014, ele promete muita coisa (ao menos começa-las): preparação pro terceiro álbum solo, projetos pros mercados latino, asiático... E mais algumas novidades, que a gente vai deixar ele mesmo contar quando chegar a hora!

As composições de Fabio são primorosas, e em Instante o privilégio da voz e da letra salta aos olhos. Canções como “Quando o amor chamar”, “Causa e efeito” e “Ojos de sal” são pedras preciosas, que merecem ser observadas e escutadas com atenção e espírito pronto para tanta delicadeza. Mas, sem sombra de dúvidas, a minha preferida é “Viajante”, uma das primeiras compostas em parceria com Kim JungBum, e que vocês conferem abaixo numa versão a capella, juntamente com o Grupo Ecco:


   


Dizem que os coreanos são, afinal, os mais inteligentes do mundo. Se isso é verdade eu não sei, mas que eles foram espertos em descobrir esse tesouro, isso eu tenho que concordar. Agora, só falta você!

por Isa Leite

Comentários