Crítica de Show: Tiago Iorc (23/01/2016)


Foto: Beatris Anchieta



No último sábado (dia 23) o cantor e compositor brasiliense Tiago Iorc subiu ao palco do Tom Jazz (onde já havia se apresentado na noite anterior) para cantar as músicas de seu mais recente álbum, "Troco Likes" (lançado em julho do ano passado pelo selo SLAP), abrindo o projeto Sons da Nova.

Com casa lotada e plateia animada, Tiago apresentou músicas como "Bossa" (de Duca Leindecker), "Amei te Ver", "Mil Razões" (parceria com Dani Black), "Coisa Linda" (parceria com Leo Fressato), "Eu Errei", "Cataflor", "Alexandria" (parceria com Humberto Gessinger), entre outras. Apesar de intimista, o show voz e violão surpreendeu pela alta qualidade vocal e pelos arranjos impecáveis - nem dava para sentir falta da bateria ou do contrabaixo. A noite contou ainda com a participação especial da dupla tocantinense "Anavitória" (formada por Ana Caetano e Vitória Falcão), que cantou lindamente a música "Singular".


Tiago cantando "Nothing But a Song"




Para deleite dos fãs, Tiago cantou também algumas músicas de seus antigos trabalhos, como "Nothing But a Song" e "My Girl" (do CD "Let Yourself In") e "Um Dia Após o Outro" e "Música Inédita" (do penúltimo trabalho, "Zeski"). Além de "Dia Especial", o cantor ainda fez cover de Los Hermanos ("Sentimental) e Caetano Veloso ("Sorte").

Sem dúvida Tiago é um representante de peso da chamada "nova geração". Com uma carreira de quase dez anos, esse último álbum mostra o amadurecimento do artista não só com a língua portuguesa (é o seu primeiro trabalho praticamente todo em português), mas também pela crítica que ele faz acerca da mania de grandiosidade no meio virtual e um desespero desenfreado por uma "curtida" nas redes sociais. Esse "abraço definitivo" com sua língua natal somado ao seu talento e carisma fazem de "Troco Likes" um dos melhores álbuns da música brasileira dos últimos tempos.

Por Bia Anchieta




Comentários